quinta-feira, 26 de junho de 2008

Say Papapapapa for you to understand !

O "Cultura Para (e por) Quem não é Culto" indica: Mallu Magalhães é uma boa opção musical. Já bem sei que essa postagem será considerada "bairrista" e vão me taxar por determinados elogios, mas é o que eu posso oferecer de novo (e bom) em meio à onda decadente que surge todos os dias na música "popular" brasileira. E convenhamos, devemos espalhar novidades construtivas, já que a música pornográfica e desvalorizada avança muito mais rápido na nossa sociedade.
E Mallu é totalmente o oposto disso. Nada de pornografia, nada de desvalorização do ser humano, nada de palavreado baixo, nada de música sem sentido ou que não nos leve a cultura nenhuma. Já escutar Mallu Magalhães nos faz buscar as raízes do Rock n Roll e do Folkabilly, sem contar que apresenta novamente aos nossos ouvidos que diferença uma gaita pode fazer na música, ou uma intercalação sem letras, valendo-se de expressões onomatopéicas que enriquecem os acordes do violão e costumam vir a nossa cabeça em momentos alegres.
Com inspiração acentuada de Johnny Cash, Elvis Presley, Beatles, dos mestres do blues e de outros estilos que muitas vezes não chegaram a ser conhecidos mundialmente, a garota de 15 anos arriscou entrar no mundo musical brasileiro da forma como poucos (ou ninguém) fazem hoje em dia e da qual se consideraria quase impossível de ser reconhecida. QUASE porque ainda existem pessoas com cultura de valor. Enquanto muitos ganham sucesso nos verões praianos, lançando músicas de uma frase só, valendo-se mais da comercialização do que da composição, Mallu Magalhães decidiu ingressar com gravações próprias, sendo reconhecida através de apresentações e entrevistas ao invés de comerciais e festas de verão. Sem selos ou gravadoras, ela já tornou seu nome público e ganhou fãs diversos, porém sem isentar aqueles que a criticam incansavelmente.
Poderia dizer que são críticos sem base para suas teses, mas infelizmente eles a tem. Desconsideram-na como uma má representante da música brasileira por valer-se da língua inglesa na maior parte de suas composições. Taxam-na pela sua ingenuidade diante das câmeras. Criticam-na pela falta de contextualidade em suas letras. E à luz do mercado musical em nosso país, pode ser até que eles tenham alguma razão. Porém é interessante analisar a visão da garota antes de descartá-la de sua “playlist”.
Com atuais quinze anos de idade, Mallu Magalhães compõe, canta e toca suas próprias músicas além de adaptar alguns covers dos músicos que a inspiram. Com letras simples, que geralmente retratam felicidade em coisas pequenas, tristezas por não poder fazer mais por este mundo ou alguém importante que está longe, a garota conseguiu dinheiro emprestado para gravar algumas de suas composições preferidas e, colocando na internet, conseguiu nome no público. Adquiriu uma banda que a ajudasse a tocar e faz shows aos finais de semana em pequenos locais da cidade de São Paulo. Talvez por sua letra “fraca” (vocês já leram a postagem sobre o Créu?), que não possui qualquer crítica ao país ou ao sistema político, até mesmo as guerras, Mallu é muitas vezes desconsiderada como uma nova representante de nossa música e desconsiderada para que concorra a ser a criadora de um novo estilo musical (nomeada por ela mesmo de Folkabilly ou Folk n’ Roll).
Não é por menos. Nenhum jovem quer tocar Tchubaruba em seu carro quando está se dirigindo a uma balada, ou cantarolar o refrão de J1 como protesto ao governo. Porém os velhos conhecidos do rei Elvis ou dos mestres do Yeah-yeah-yeah aproveitariam muito bem a viagem de ônibus com as músicas simples da jovem Magalhães. Ela por si só sabe que a qualidade da música respeitada hoje em dia pela maior parte dos ouvintes não foi feita necessariamente para ser arte, apenas para ser reconhecida e vender. E é exatamente essa a idéia de quando ela compõe.
Sabe quando você está com aquele sentimento em seu interior e a primeira coisa que faz quando tem um tempo livre é pegar um lápis e um papel e fazer um desenho, não importa quanto tempo leve ou quantas pessoas o vejam? Ou quando aquele pensamento não lhe sai da cabeça até que você abra o Word, sem ao menos pensar se alguém vai ler e concordar?
Talvez seja essa a ansiedade que inspira as músicas da Mallu e, convenhamos, ela é uma garota, não vai querer expressar (mesmo porque ela não tenha isso) sentimentos de revolta social ou conflitos amorosos.
Escute-a apenas para deixar seus ouvidos sentirem algo mais leve de vez em quando. Livre-se da música pesada e das preocupações e responsabilidades diárias. Escute-a e pense que você tem apenas quinze anos e nada mais importa por um momento do que voltar da escola e pegar um violão para passar a tarde em baixo de uma árvore.


17 comentários:

mad hatter disse...

'papapapaaaa, will i have to try again?'

yo, Mallu rocks, mas melhor que a Mallu só mesmo a dança do quadrado!

\o/

(isso foi uma brincadeira sem fins lucrativos, por favor, não me batam)

Jéssica Teles disse...

Eu tenho que confessarr : eu era uma das críticaas dela. Tipoo eu odiaava as letrinhaas xoxas deela.
Aí, um dia, parei pra prestar atenção sabee, não ouvir por ouvir.
ELAAA É MUUITOOO FOFAAAAA *-*

agooraa eu nuum vivoo seem tchubaruubar por aiii =]

thaanks Math por me moostrar a simplicidadee e a voz linda da Mallu :)

Felipe disse...

seu bairrista!

nao volto mais aqui!! haha


zuera..
ahh..ela é bacaninha..mas sei lá..

Máh Barrocas disse...

Ahhhhhhh que lindaaaa !
Fofaa demaiis elaa!
E siim ela cantaa bemm! :)

Saudadees Máh!

Felipe disse...

agora eu li..
entao vamos lá..

falando sério...ela é bacana..canta bem...tem musicas boas e tudo mais..

mas essa história de como ela surgiu é balela..ela é fruto da mtv, assim como hateen, cpm22 e outros lixos..

a diferença é que ela tem certa qualidade...que se comparada com os outros, é anos luz à frente..

mas ainda assim...falta algo..
ela manda bem, mas ainda nao ouvi nenhuma musica daquelas que arrasam quarteirao...daquelas que marcam pra sempre...
talvez ela ainda consiga isso, mas por enquanto ainda nao da pra dizer que ela é a salvação da musica nacional..

já ouvi falarem várias vezes isso sobre outros artistas, e a maioria nao alcançou tal expectativa..
por isso, ela precisa ter calma...
(se a mtv deixar)

Felipe disse...

e eu nao aguento mais ouvir ela..hahaha

mad hatter disse...

felipe, seu DRO-GA-DO!

Mallu rocks, ya!!
noob!

x\

Máh Barrocas disse...

Pottinhoooooo papapapaaaaaaaaaaa for you too boy!

Blog att!
Vai láa!

Amuul :)

Felipe disse...

certas coisas é melhor nem responder...=P

Anônimo disse...

Essa menina aí é uma bosta!!!
espero que ela morra logo pra parar de me irritar com aquela vozinha enjoada!!!

Anônimo disse...

concordo!!! ela é uma cria do inferno!!!

Anônimo disse...

concordo!!! ela é uma cria do inferno!!!

Gilgomex™ disse...

Hum...
Tenho certeza que esse Papapapapa sozinho faria um sucesso imenso numa batida funkeira... rs.

Muito bonita a voz dela, a letra parece bem inocente também, gostei... Não vou negar que preferia uma brasileira cantando em português (apesar de eu também cantar muita coisa em inglês, mas não são composições minhas), mas apesar do jeitinho meio "sem jeito" diante das câmeras, ela me parece bastante com algumas grandes cantoras até do Brasil (Cássia Eller em seu primórdios, tinha quase uma aversão rasgada por câmeras de TV)... Tem tudo pra dar certo, não como uma grande cantora da MPB, mas como uma grande cantora (ponto).

mad hatter disse...

escreva um post sobre sparrabeth

*.*

Eric Vanucci disse...

Tudo bem Matheus? Ótimo post, essa menina deveria ser inspiração pras garotas da idade dela. Quem viu a entrevista da Mallu no Jô? Com certeza ela tá num bom caminho e vai longe...
Abraços!

Felipe disse...

mallu magalhães que se lasque!
eu vi um dos melhores shows da face da terra!!
MUSE!!!!!

Máh Barrocas disse...

Ahhhhhhh ta na hora de vc att isso aqui eein!
Malu é lindaa maiis....
Chegaa né´! nUAhauHUAha ;X

Te amo Máh!
Blog att!